Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Dúvidas de Mãe

por Rosa ou Azul, em 10.09.13

Depois de ser Mãe, fiquei com uma dúvida.

Não é bem uma dúvida, é um sentimento um tanto ou quanto "desconcertante".

Sempre disse que queria ter mais do que um filho.

Espero que Deus me dê essa graça, e a vida mo permita.

No entanto, a dúvida que me assola quanto a ter outro bebé, é (e espero não chocar ninguém...): Amá-lo-ei tanto e desta forma tão avassaladora, como amo o Lourenço?
Eu sei que a resposta é SIM, claro que SIM, mas quando nasce o primeiro filho e conhecemos a verdadeira e pura essência do amor de Mãe, acabamos por nos envolver de tal forma nesta estonteante forma de amar, que não temos a certeza se este sentimento se repetirá da mesma forma.

O meu coração diz-me que sim, mas parece que insiste em ficar na minha cabeça, esta dúvida tonta.

As que já são Mães de dois/duas ou mais, pensarão "Que grande disparate". As que ainda não têm filhos, talvez não compreendam.

As que, como eu, só têm um bebé, contem-me tudo! Sou uma tonta por pensar assim, ou também vos acontece?

 

Há uns anos, li sobre este tema aqui, no blog Cocó na Fralda.

Na altura, não compreendi tão bem, como compreendo agora, depois de ter um filho!

Já falei com amigas sobre esta tema, e a opinião vai muitas vezes ao encontro da minha.

O medo existe, mas basta engravidar, ver a barriga a crescer, receber de braços abertos o nosso novo bebé, para termos a certeza que o AMOR se eleva de novo ao seu expoente máximo, e chega para 1, 2, 3, 4 filhos.

 

 

 

publicado às 20:53

Tudo a postos (aiiii, estou nervosaaa)

por Rosa ou Azul, em 01.09.13

O saco da roupinha do Lourenço já está pronto.
Noutro saco há toalhitas, soro, creme, lençóis, ...
Amanhã há uma nova sala e duas novas auxiliares (a mesma educadora e os mesmo meninos!) à espera do Lourenço.
Tenho um friozinho na barriga. E pergunto porquê.
Sei que lhe vai custar. Foram 15 dias de muita galhofa e boa vida, com rotinas diferentes. 15 dias de mimo dos pais e dos avós.
Amanhã vai custar. A todos. :(
(ao F. e ao H., que vão para a escolinha amanhã pela 1ª vez, desejamos um dia feliz!!!!)



publicado às 23:08

This is me...

por Rosa ou Azul, em 10.08.13

Por genética, feitio ou influência dos astros, eu sou assim.

Este conjunto de qualidades e defeitos, que faz de mim, a pessoa que sou. (Simmm, tenho algumas qualidades, vá...)

Uma das minhas características é ser um pouco "extremista", e não sei se será o termo que melhor se aplica, em relação às minhas amizades.

Eu não consigo gostar de ninguém assim-assim. Não gosto de meios termos, nem de coisas-mais-ou-menos.

Quando gosto de alguém, gosto muito. Dou-me com as pessoas e dou-me às pessoas.

Quando não gosto, simplesmente não gosto.

Felizmente, são poucas as pessoas que não gosto, de todo, por uma ou outra razão. Contam-se pelos dedos das mãos!

 

As que gosto, são tantas. E dessas tantas, eu gosto tanto!

 

Os amigos que trouxe das duas faculdades. Os amigos que fiz nos sítios onde trabalhei e onde trabalho.

Os da terra onde nasci e cresci. Os da terra onde fiz o secundário.

Os que vieram, por acréscimo, com o meu marido. Da sua terra, do seu trabalho, da sua faculdade.

Os que são amigos do meu irmão. Amigos das minhas amigas. Amigos dos meus pais.

Os amigos que trago da Escola Primária. E os professores-amigos que fiz.

Os amigos que emigraram, mas com quem teimo em ir mantendo contacto.

Amigas que começaram por ser virtuais. E que agora, são "tão reais"!

O senhor da caixa do Pingo Doce, que já tão bem conheço. E o senhor do talho, onde vou habitualmente.

A velhota que sobe e desce a minha rua, e que a única coisa que sei é que é minha vizinha.

A minha querida obstetra, que trouxe o Lourenço ao Mundo. E a enfermeira do Centro de Saúde, que amiúde, lhe dá umas picas.

Vizinhas de antigas casas. Donos de antigos cafés que frequentei.

 

Desses, de todos esses, eu não consigo gostar mais ou menos. Não consigo.

Fui feita para gostar de pessoas!

Sobretudo porque sou feliz a trazer comigo, um bocadinho do que todas acrescentaram à minha vida...mesmo sem saberem!

 

 

 

 

 

 

publicado às 10:02

Drama Queen é o meu nome do meio....!!!

por Rosa ou Azul, em 04.08.13

Eu, drama queen, me confesso.

Na 6ª feira acordei com um olho vermelho e com alguma irritação. Assim passei o dia, com umas lágrimas a mais, mas nada de especial.

Ontem, acordei pior... Estava já com ar de quem tinha sido esmurrada... Mais vermelho, com dor, ardor, comichão e muita lágrima a cair involuntariamente! Comecei então a colocar Clorocil.

Hoje, acordei em estado camoniano! Eheh! Um olho praticamente fechado, muito inchado e feio. Passei numa farmácia, de onde me mandaram para o médico com urgência!

Assim foi! Urgências de Santa Maria! Que melhor spot para um domingo à tarde?!?! ;)

Aqui, entra a drama queen!

As coisas nos olhos, impressionam-me sobremaneira. Imaginar cirurgias e coisas que tais!

Ia para lá e só pensava: Ai, o que me vão fazer? Eu tenho um bebé, não posso ficar internada! E se tenho algo sério como um descolamento da retina? E se isto...e se aquilo... Já para não falar da parte de ter sido em Santa Maria, que por engano numa operação cegaram alguns pacientes... (Nada de gozar com esta faceta hipocondríaca, ok?)

Enfim, desce em mim uma versão maluco-pessimista, de vez em quando!!!

Tudo muito rápido entre triagem e consulta (clap clap clap para alguns serviços dos Hospitais públicos).

A caminho da consulta, nos corredores para a oftalmologia vêem-se quadros com olhos gigantes, fora do sítio deles e alguns com uns electrodos. Assustador! Parecia-me que ia na passadeira vermelha, para um filme de terror :)

Eis-me então a ser consultada numa sala com vários médicos e outro paciente, e onde um dos médicos diz "...quando fiz a inversão da pálpebra...". Bem, quase me levantei de imediato para gritar: DESISTO, eu afinal não tenho nada! Esqueçam!

Mais tarde ouço: "...sim, o senhor tinha um vestígio de qualquer-coisa-que-não-entendi no olho, mas eu já o tirei com a pinça...". Penso: Vou sair de fininho, ai vou vou!!!

E pronto: colírio nos olhos, pupila dilatada, diagnóstico de uma grande infecção, receita passada, e ver se em 48h alivia, ou voltar lá (oh não!)!

Deixem-me fugir daqui e depressaaaa!


Uma tarde de domingo, do melhor!!!!!


(Ao fim do dia ainda conseguimos ir ao jardim, não foi mau!!!!!)

publicado às 21:09

Constatações Pós-Maternidade #10

por Rosa ou Azul, em 27.05.13

"Despersonalizações" à parte, mas nunca pensei que fosse tão giro e tão bom, deixar de ser a Filipa (em alguns sítios e ocasiões) e passar a ser "a Mãe do Lourenço"!

Que sensação tãããooo boa!

publicado às 22:07

Nunca...

por Rosa ou Azul, em 20.04.12

...mas nunca, nunca, nunca na minha vida, pensei que o regresso ao trabalho, depois de 5 meses com este gordinho lindo, me fosse custar tanto.

Faltam ainda alguns dias, mas ando a sofrer horrores só de pensar!

Houve quem me dissesse que ira perceber que até sabe bem o regresso, que a rotina me iria fazer falta, que sentiria necessidade de voltar a "puxar pela cabeça", que gostaria de voltar a falar com adultos e deixar de ser unicamente a "Filipa-Mãe"!

 

Acontece que, não sinto a mínima falta da rotina de "secretária, computador e vidinha das 9h às 17h"!

Tenho convivido com adultos e as minhas conversas não se resumem a fraldas e biberões (acho eu!)...

Saio imenso com o Lourenço, passeamos, apanhamos sol quando o tempo deixa, lanchamos, almoçamos e jantamos fora com amigos.

Vamos ao shopping. Bebemos café com outras amigas com bebés da mesma idade.

E eu vivia tão bem assim. Mais um ano. Talvez até dois.

Sei, reconheço-o...o Lourenço precisa de infantário, de convívio, de se tornar "independente". Mas precisará disso já?

Talvez ele esteja preparado. Agora eu...eu não estou.

Esta coisa de twenty-four seven, para o Lourenço, preenche-me completamente!

 

O dia 2 de Maio vai custar-me horrores. Mas, para já, ficará o Pai em casa um mês.

No dia em que ele for para o infantário....aí sim, vai o meu coração com ele.

Devo ficar angustiada. Com um nó no estômago, como no primeiro dia da escola primária...

 

Cada Mãe sente este momento à sua maneira. Eu estou a senti-lo assim.

De forma difícil.

Muito difícil.

 

 (Para este estado "down" também contribuem todas - e tantas que são - as vezes que me perguntam "Então...estás quase a voltar ao trabalho?" So what? Parece que as pessoas somam pontinhos de felicidade com a "desgraça" dos outros!)

publicado às 02:41

Peso (o meu...!!!!)

por Rosa ou Azul, em 08.12.11

E 15 dias depois do parto, 10kilinhos (ou um pouco mais) já foram à vida.

Ainda faltam mais uns quantos....e cheira-me que estes que faltam, custarão mais...!

Tags:

publicado às 21:45



Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D